Olááá! Hoje é

quarta-feira, 30 de março de 2011

Cada dia é uma pequena vida...



Por Rosana Braga

Nos últimos 18 meses, especialmente, tenho buscado uma compreensão ainda mais profunda de mim mesma e, conseqüentemente, de cada alma que de mim, de alguma forma, se aproxima...

Nesta jornada, tenho descoberto e confirmado, cada vez com maior lucidez, uma verdade que pode ser ótima (ou não) dependendo da forma como lidamos com ela: cada dia é uma pequena vida!

Cada situação é uma encruzilhada. Cada passo é uma escolha que pode mudar tudo. Talvez seja exatamente por isso que é tão difícil nos mantermos fiéis aos sentimentos que mais desejamos experimentar: alegria, auto-estima, gentileza, amor...

Um passo vacilante... E tudo se modifica. O que era amor pode se transformar em ciúme, egoísmo, raiva, medo. O que era alegria pode se transformar em dúvida, desesperança, tristeza. O que era auto-estima pode se transformar em insegurança, agressividade, dor. O que era gentileza pode se transformar em intolerância, desistência, arrogância.

Uma atitude, uma escolha... E tudo pode mudar! E isso me faz lembrar à máxima “Orai e vigiai”. Quando a gente ora, pede o que deseja, entra em estado de humildade, receptividade, esperança... Mas um minuto depois, é preciso que entremos em vigília constante.

Somos passionais, motivados por reações. Ainda não aprendemos a ponderar. Reagimos automaticamente a partir de crenças limitantes, de preconceitos e defesas internas. Reagimos: este é o problema.

Precisamos começar a agir. Sempre agir. Cada passo precisa ser uma ação consciente, atenta, lúcida. E para que isso se torne possível, só há uma maneira: treino, prática, repetição... Dia após dia até que se torne hábito.

Só podemos destruir um velho hábito que já não nos interessa se no lugar dele construirmos um novo, que revele uma nova direção, um novo caminho. Os sentimentos difíceis continuarão dentro da gente, mas em vez de reagirmos a eles, podemos decidir por uma nova ação.

Em último caso, tenho feito assim: quando ainda não sei qual a nova ação que posso ter diante de um sentimento difícil, opto pelo silêncio. Respiro fundo, entro em contato com o que estou sentindo, reconheço que estou me deixando atingir pelo que está acontecendo e simplesmente espero, em silêncio, até que consiga encontrar, dentro de mim, uma nova maneira de agir diante de velhos sentimentos.

E assim, de vida em vida, um dia de cada vez, pretendo acordar amanhã mais positiva do que fui hoje...

segunda-feira, 21 de março de 2011

Curso O Ciclo do Feminino


Meninas! Olhem que máximo esse curso que uma amiga está fazendo!!!

Lidia Dantas Médica, é Pós Graduada em Psicoterapia pelo Instituto Junguiano da Bahia, onde ministra aulas.Com 15 anos de experiência na prática clínica. Roberta Mascarenhas Oliveira Psicóloga, pós–graduada em Psicoterapia Analítica pelo instituto Junguiano da Bahia, mestre em Psicologia do Desenvolvimento, pela de Universidade de Coimbra, Portugal, professora do curso de Psicologia.

Precisa que eu diga mais alguma coisa sobre ela!?
Com certeza que não né!? rsrsrs.
Super competente, antenadissima com os assuntos da mulher de hoje em dia e megaaa feminina!!!

A busca pelo auto-conhecimento nos leva cada vez mais a procurar entender os ciclos e as cores da nossa psique, que assim como a Lua nos traz as danças das fases , do seu crescer até a exuberância de se mostrar cheia, minguando e se permitindo morrer para nova-mente recomeçar. Um espaço para aqueles que desejam refletir sobre os temas humanos e suas bases arquetípicas. Um convite para um olhar simbólico para a vida.




Acessem o link abaixo para mais informações
sobre esse maravilhoso curso




Você Mima o seu Parceiro?




Para a psicóloga Karen Camargo, é uma delícia receber um carinho ou algum tipo de cuidado do parceiro. "Quem não gosta de ser mimado? O homem muitas vezes vem de uma experiência anterior de mimo por parte da mãe. Assim, se ele foi muito cuidado ou mal acostumado, certamente vai gostar de uma parceira que faça igual", explica a psicóloga, lembrando que a mulher é preparada para cuidar. "Elas têm esta habilidade inata pois foram preparadas biologicamente para serem mães", explica.

Karen esclarece que quando a namorada ou esposa faz coisa como servir o prato dele ou falar para ele não esquecer o agasalho, isso também faz parte de uma classe de comportamentos que chamamos de cuidar. "Este sempre foi papel da mulher, como uma herança biológica. Por isso, é natural que a mulher queira cuidar de seu parceiro.

O que se deve evitar são os exageros", lembra a psicóloga, alertando que fazer tudo pelo parceiro pode troná-lo preguiçoso ou passivo.
Ele não é mais criança!

Por mais que a vontade seja cuidar do parceiro, temos que ter em mente que ele já largou as fraldas há um bom tempo. "Mãe pega no pé. Do homem adulto, espera-se que ele saiba se defender ou mesmo lembrar de pegar uma blusa antes de sair. O que a mulher pode fazer é ajudá-lo a lembrar", sugere a psicóloga, avisando que pegar a blusa para ele pode, a longo prazo, torná-lo dependente, passivo e sem iniciativa.

Quando a porção mãezona da mulher toma muito espaço no relacionamento, as conseqüências não são nada boas. "A mulher pode ficar chata e atrapalhar a harmonia da relação. Quando a mulher assume o papel de mãe ou mima muito o parceiro, ele pode ficar ‘folgado', pois sabe que tem alguém que faz as coisas por ele. E aí, certamente no futuro a parceira vai se incomodar e isso pode causar desentendimentos na relação", finaliza.

Boa semana a todos.
Bjks
Mitchel

segunda-feira, 14 de março de 2011

O poder está em Você




Queridas, estou sumidinha né... Nooosssaaa! Minha vida está uma correria só, mas trago pra vocês um texto maravilhoso de Taís Boza.

Se você tentou conseguir alguma coisa na vida que não deu certo - não importa o que tenha sido, nem quantas vezes tenha tentado - cuidado com os rótulos que utilizar ao se referir a essas experiências. O fato é que tudo o que fazemos na vida produz resultados, e se algo não saiu do jeito que você esperava, não há porque chamar o resultado obtido de fracasso.
A verdade é que não existem fracassos, apenas resultados.
Os grandes sucessos, em geral, resultam de erros transformados em lições. Os vencedores são os que perseveram e seguem em frente até conseguirem o que desejam, não importa quantas vezes seja necessário tentar.
Palavras são chaves que produzem estados emocionais e precisam ser escolhidas com atenção. Se parar para observar, perceberá que todas as experiências da sua vida trazem um aprendizado. Ao aprender a lição contida em cada delas você adquire as ferramentas que precisa para fazer diferente.

É preciso coragem para errar e aprender com os próprios erros.

A dor e o sofrimento podem ser transformados em mestres que o impulsionarão a vencer desafios e a descobrir o seu caminho na vida. Para isso, é preciso ter a coragem de olhar para dentro e observar o que está presente dentro de você.
Ao descobrir a lição que se encontra em cada experiência, você adquire força para empreender o trabalho da autotransformação.
Enquanto alguém não aprende a lição que uma experiência traz, o universo continuará apresentando a mesma situação, de formas variadas, como oportunidades para que se faça o aprendizado necessário.
Por isso, tantas pessoas se vêem em situações semelhantes, que parecem reproduzir um sofrimento conhecido. A única forma de se libertar é através do aprendizado.
O poder está em você.
Embora você possa acreditar que a fonte da sua angústia, do sentimento de rejeição, ou da tristeza profunda, esteja na atitude do namorado, do seu chefe, da sua mãe, mulher, ou quem quer que seja a causa da dor que sente está dentro de você.
Por isso, quando a atitude de alguém faz sua energia diminuir e você se sente mal, é no seu interior que encontrará as chaves para compreender o que acontece de fato, e assim, evitar que volte a se repetir.
Para virar o jogo, é preciso reconhecer o que quer que esteja presente dentro de você.
Colocar-se no lugar da vítima e atribuir às outras pessoas a responsabilidade pelo modo como você se sente, ou pelos acontecimentos da sua vida, é continuar a promover o mesmo tipo de situação que se quer evitar.
Se desejar, honestamente, mudar o que não está funcionando, é preciso ter a coragem de olhar para dentro.
Todo mundo tem tudo aquilo que precisa para o trabalho que se dispõe a fazer. Mas a única forma de acessar essas ferramentas é através do mergulho interior.

Faça diferente. O importante é ouvir seu coração e experimentar.

Aquilo que acontece na vida não é bom nem ruim. Vai depender da forma como você utilizar o que acontecer. Você tem a opção de transformar a dor em força, sabedoria, humildade, determinação, utilizando tudo para a sua felicidade. Comece olhando para dentro. Coragem.

Um megaaaa inicio de semana para todos.
Bjks
Mitchel